O Perfil do Profissional de T.I. no Brasil – Parte 5

O Perfil do Profissional de T.I. no Brasil – Parte 5

PARTE V - O PERFIL DO PROFISSIONAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO BRASIL DIANTE DAS NOVAS COMPETÊNCIAS DEMANDADAS PELAS ORGANIZAÇÕES

 Autor: Danielle Ferreira da Silva - Orientador: Prof. Dr. Daniel Branchini

Capítulo 4 – Método

Amostra: Consultores e headhunters que trabalham com vagas – Recrutamento e Seleção - do mercado de Tecnologia da Informação, há pelo menos 5 anos em empresas ou consultorias foram entrevistados com o objetivo de fornecer uma serie de dados relacionados ao mercado de trabalho de T.I., o perfil técnico, de competências essenciais/organizacionais e demanda do mercado em relação as competências esperadas, por conta de suas experiências recrutando para o mercado de T.I.

Instrumento: O instrumento (Anexo II) foi composto por um roteiro de entrevista semiestruturada com consultores e headhunters do mercado de Tecnologia da Informação. Ao se escolher perguntas mais abertas, existe a possibilidade de trabalhar com um maior volume de dados a serem organizados, porém como Campos (2007) afirma – “poderão exigir novas questões, novas demandas que podem levar à busca de novos dados e novos significados observados” – gerando uma discussão mais ampla.

Procedimentos: A escolha pelos consultores e headhunters que participaram do presente trabalho foi baseada no critério quanto ao nível de experiência em recrutar para esse mercado, ou seja há pelo menos 6 anos. Alguns já tiveram contato prévio com a pesquisadora, pois já trabalharam na mesma empresa ou consultoria. Foram contatados profissionais que atendem a diferentes níveis de senioridade para o mercado de tecnologia da informação, para que uma análise linear da carreira em Tecnologia da Informação pudesse ser discutida.

Portanto, os procedimentos ficaram organizados da seguinte forma:

Entrevista semiestruturada para consultores e headhunters – Entrevista Presencial:

Apos aprovação do Comissão Interna de Ética da Universidade Presbiteriana Mackenzie, a pesquisadora entrou em contato com os profissionais via telefone para apresentar o presente trabalho, seus objetivos e problema de pesquisa.

A pesquisadora mencionou que a presente pesquisa está de acordo com as normas de Regimento da Comissão Interna de Ética da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Citará a Carta de Consentimento Livre e Esclarecido, conforme anexo I – informando sobre o objetivo da pesquisa e sobre a forma de coleta de dados via entrevista, destacando que todos os dados serão absolutamente confidenciais, preservando-se a identidade do participante.

Carta de Informação ao Sujeito de Pesquisa, conforme anexo I - que garante o direito do participante em a qualquer momento, retirar seu Consentimento Livre e Esclarecido e deixar de participar do estudo alvo da pesquisa, sem ônus.

Após concordância do participante a aplicação da pesquisa foi combinada em um horário e local conveniente e adequado para a pesquisadora e participante, iniciando-se o processo pela apresentação da Carta de Informação ao Sujeito de Pesquisa e Carta de Consentimento Livre e Esclarecido para anuência e caso seja de concordância do participante, assinatura.

Após confirmação de que o sujeito entendeu todos seus direitos quanto a situação de pesquisa, e que não tinha duvidas à respeito dos procedimentos e pesquisa, a entrevista semiestruturada foi feita, vide anexo II.

Analise de dados: Os dados foram categorizados por meio da analise de conteúdo. Na entrevista semiestruturada, cada pergunta representa um tema diferente a ser discutido levando-se em consideração os dados trazidos pelos participantes. Como Bauer (2000, apud Campos, 2007) afirma: “a metodologia da Análise de Conteúdo possui um discurso elaborado sobre a qualidade, sendo suas preocupações-chave a fidedignidade e a validade, [...] [as quais] acrescento coerência e transparência”. Aos participantes que quiserem serão enviados os resultados consolidados para os mesmos. O trabalho poderá ser divulgado em meios acadêmicos - pôsteres, artigos e congressos.

Aspectos éticos:

O primeiro aspecto a ser explicitado para os participantes foi o objetivo do presente trabalho – para que o participante pudesse ponderar sobre a decisão de participar ou não do presente trabalho, a ser divulgado apenas em meios acadêmicos: Os dados coletados serão utilizados na elaboração de um artigo.

O sigilo da identidade dos participantes é garantido e as informações apenas utilizadas para análise do presente estudo, com total confidencialidade, respeito à identidade e privacidade dos participantes – que não será revelada sob hipótese alguma, pois os dados serão trabalhados de forma consolidada sem permitir a identificação do sujeito. Além disso, a confidencialidade é garantida por sigilo profissional.

Foi esclarecido sobre o direito do participante em receber o estudo terminado – expondo o resultado da pesquisa de forma consolidada, caso fosse de seu interesse. O ambiente em que o participante e a pesquisadora se encontraram foi isento de ruídos e um ambiente que assegurasse a privacidade dos participantes.

A entrevista (instrumento) apenas foi aplicada quando após sanar as dúvidas sobre os procedimentos, pesquisas, objetivos do estudo e sobre a certeza do participante em ser participante da pesquisa.

Caso exista necessidade, ou vontade - os participantes da pesquisa poderiam desistir da participação a qualquer momento.

Capítulo 5 – Apresentação dos resultados

Para a fase de pesquisa, foram feitas quatro entrevistas, com o objetivo de coletar dados a serem analisados com o objetivo de compreender uma visão linear da carreira de profissionais de Tecnologia da Informação. Como citado no método exposto no presente trabalho, cada pergunta feita nas quatro entrevistas foi considerada um tema a ser apresentado a seguir:

1 - Há quanto tempo trabalha/trabalhou como consultor no mercado de Tecnologia da Informação?

Quanto ao tempo de experiência com o mercado de Tecnologia da Informação, três das pessoas entrevistadas têm seis anos e meio aproximadamente de experiência, recrutando e selecionando profissionais de diferentes senioridades. Uma entrevistada tem aproximadamente 21 anos de experiência, recrutando principalmente profissionais executivos desse mercado.

2 - Qual a sua formação: curso de graduação, e especializações?

Quanto à formação dos sujeitos entrevistados, temos um grupo diverso: Um sujeito é graduado em Letras pela USP e com um MBA em Gestão de Pessoas pela FGV. Outro sujeito de pesquisa é formado em Psicologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Pós- graduado em Recursos Humanos pela FAAP. O participante com 21 anos de experiência tem uma graduação de Administração de Empresas e Tecnologia de Banco de Dados pela UFBA, Pós-Graduação em Recursos Humanos pela FGV E MBA em Desenvolvimento Negócios pela FGV também.

3 - Em sua opinião e experiência profissional, qual é a grande motivação na escolha de um profissional de T.I.?

Um dos sujeitos de pesquisa, afirmou que a grande motivação desses profissionais é a oportunidade de treinamento interno, que uma empresa pode proporcionar; quanto a outro sujeito de pesquisa, esse afirma que o mercado de T.I. é um mercado com o ritmo acelerado, com muitas mudanças e inovações a todo momento, portanto o profissional desta área tem sempre grandes oportunidades de crescimento profissional, salários acima da média de mercado e muita oferta de trabalho, o que pode motivar o profissional em mudanças de trabalho e também na escolha por essa área profissional.

Também foi afirmado que depende de área de atuação de cada um dentro da T.I. – se o profissional seguir uma escolha em vendas, a grande motivação é a remuneração, e os profissionais mais técnicos é o desenvolvimento que é levado em consideração no momento da escolha profissional.

4 - Qual o grau de capacitação da maioria dos profissionais de T.I.?

Um dos sujeitos de pesquisa, afirmou que a maioria dos profissionais de T.I. têm nível superior completo ou técnico e cursos de especialização. Outro sujeito de pesquisa afirmou que muitos têm Pós-graduação ou MBA, mas também certificação especifica, como SAP, por exemplo.

Também foi afirmado que normalmente esses profissionais têm apenas nível universitário e que são poucos que tem uma especialização – MBA ou Pós, pois a especialização acaba sendo relacionada com o dia a dia desse profissional, ou seja, aprendem na prática (mas as empresas podem exigir certificações), afirma ainda que esses profissionais entram nas empresas por conta de um pacote de treinamento e certificações que podem ser oferecidos.

5 - Quais as competências que você acha necessário um profissional de T.I. apresentar?

Por unanimidade, os participantes afirmaram que a principal competência que um profissional de T.I. deve apresentar é a capacidade analítica. Afirmaram também que atualmente as empresas têm como meta ter um ambiente de trabalho agradável e positivo, e que por esse motivo também é exigido desses profissionais que eles sejam bons em trabalho em equipe, boa comunicação, inquietude quanto às novidades e inovações tecnológicas e alta capacidade de aprendizado.

6 - Quais as competências – que na sua experiência – você identificou que as empresas exigem para um candidato de T.I.?

Os sujeitos de pesquisa responderam que principalmente – as empresas buscam profissionais que sejam muito analíticos, com foco no cliente e em resultados a médio e longo prazo quando se trata de uma posição de gerência e executiva, porém quando se trata de uma posição de nível de suporte, o profissional tem que ser competente na resolução de problemas contínuos e pontuais. O sujeito de pesquisa com maior experiência citou que são poucas as empresas que se preocupam realmente com a capacidade comportamental dos candidatos, pois são tantas as exigências técnicas que as empresas acabam focando no número de certificados que o profissional apresenta em seu portfólio.

7 - Qual o salário médio inicial do profissional de T.I.?

Quanto ao salário médio inicial de um profissional de T.I. a maioria dos entrevistados afirmou que a média inicia é entre R$ 4.000,00 e R$ 6.000,00, mas que existem variações entre as empresas, principalmente entre as nacionais e internacionais.

8 - Qual a perspectiva do profissional de T.I. em termos de oportunidades de crescimento de salário e posição?

Um entrevistado afirmou que a perspectiva dos profissionais é sempre alta. São profissionais jovens que são bons no que fazem e que querem subir de nível de forma rápida na carreira e com isso o aumento salarial em mesma escala.

Também afirmaram que o mercado de T.I. paga muito bem os profissionais e normalmente oferece salários acima da média do mercado de trabalho - principalmente para os iniciantes e pelo fato de ser um mercado acelerado (com muitas oportunidades), a chance de crescimento de salário e cargos é alta.

Também foi afirmado que dentro de uma organização eles nunca serão presidentes, eles podem ter a própria empresa com o passar dos anos e da experiência desses profissionais. Quando um profissional de T.I. desenvolve uma tecnologia além do feito atualmente (cada dia mais difícil) eles podem ganhar dinheiro. Mas dentro de uma empresa, o máximo que chegam é CIO – Chief Information Officer.

9 - Qual é a maior demanda comportamental, técnica e de competências dos principais players do mercado de T.I.?

Os profissionais entrevistados afirmaram que quanto à demanda comportamental é necessário que o profissional seja bom em trabalho em equipe, porém normalmente são profissionais mais fechados, ou seja, introspectivos, mas com enorme capacidade técnica.

De forma geral, afirmaram que as principais demandas são de profissionais com foco no cliente, fácil adaptação e foco em resultados, e que têm que ser profissionais que consigam lidar diariamente com mudanças, com adaptações no portfólio de produtos oferecidos, clientes de diferentes segmentos e a mudanças no mercado.

10 - Como você acha que a profissão evoluiu em termos de exigências e capacitação dos profissionais desde seu inicio no Brasil, na década de 80?

Os entrevistados afirmaram que os profissionais de TI estão cada vez mais especializados e mais exigentes, porém o mercado também está e por isso exige profissionais tecnicamente bons e ao mesmo tempo com uma capacidade forte de relacionamento com pessoas.

Outro entrevistado adiciona que o mercado mudou bastante, principalmente considerando os novos produtos lançados e o fato de que muitos profissionais tiveram e ainda tem que se especializar nestes produtos ou diferentes formas de atuação para ingressar ou continuar neste mercado.

Outro entrevistado afirma que a profissão mudou, pois a Tecnologia mudou, mas a preocupação com quesitos comportamentais vieram para todas as áreas e mercados, mas como se trata de uma área técnica, foi a ultima a ser olhada por essa perspectiva, que evoluiu apenas após o advento do constructo da inteligência emocional.

11 - Em sua opinião, por que existe essa dificuldade em se encontrar profissionais de T.I. que preencham as exigências técnicas e comportamentais das vagas?

Quanto à dificuldade em se encontrar profissionais que atendam as exigências das companhias, um entrevistado afirmou que os profissionais de TI são normalmente mais introspectivos, muito analíticos e com baixa capacidade de relacionamento interpessoal, o que pode dificultar muito. Mas também foi citado que existem muitas posições que são bastante específicas e que exigem níveis de conhecimento e experiência de atuação que fazem a diferença, por exemplo, uma vaga de Consultor de SAP BW exige a certificação e experiência em implantação e roll-out desta ferramenta. Outra coisa que o mercado de TI, em sua maioria, ainda exige bastante é o nível avançado/fluente de outro idioma, principalmente o inglês. O Brasil ainda está abaixo da média global de países com população com acesso a outro idioma, e isso dificulta ainda mais a busca de candidatos qualificados, que tenham o idioma e ainda a experiência ou certificação exigida.

Outro entrevistado ainda afirma que se a pessoa, ou profissional tem pouca capacidade financeira, já terá dificuldade em aprender o Inglês e se já não ingressou em uma Universidade bem conceituada, é por que esse profissional já não era tão focado em estudar… resultando em que o mercado de ensino acaba por comprar o aluno que queira trabalhar com tecnologia para um crescimento de salário e cargos de forma rápida, mas normalmente esse perfil de profissional não têm tantas condições financeiras.

12 - Em sua visão, quais as razões do atual panorama?

Quanto ao atual panorama, os entrevistados afirmaram que as empresas como um todo precisam de um bom ambiente de trabalho, e por isso exigem que todos os profissionais saibam lidar diretamente com pessoas, além de exigir cada vez mais pré-requisitos para todas as posições, inclusive para estagiários, acarretando um ciclo, pois cada vez mais os profissionais devem vir prontos em termos acadêmicos e comportamentais.

13 - Quais as perspectivas do mercado e do nível de exigência referente ao profissional de T.I.?

O mercado quer profissionais bem capacitados, analíticos, mas que ao mesmo tempo saibam trabalhar em equipe e que tenham um bom relacionamento interpessoal, bem como boa comunicação. Todos os sujeitos de pesquisa entrevistados acham que o mercado irá apenas refinar a cada dia mais o perfil de exigência, caminhando para apenas alocação de pessoas no mercado de T.I.

Essa é a quinta parte da pesquisa a ser publicada integralmente no LinkedIn.

* é proíbida a reprodução de trechos ou integralmente dos artigos aqui postados sem prévia autorização e sem citar a autora.